domingo, 31 de dezembro de 2017

Fica Mal Com Deus quem não sabe dar... Fica mal comigo quem não sabe amar.



Enfim, Marília e Stefanie, vocês são crianças demais. - Depois a Dona Stefanie, falava que eu não sabia o que era a vida quando eu estudava. - Primeiro, eu não tenho culpa se vocês gostam da mesma pessoa, e também, não tenho culpa da deprimida que a Marília se tornou!

Já passei isso com os meus pais e meu pai, só tirou a culpa do fim do casamento deles, só agora comigo, com 23 anos de idade. - Vocês não sabem como é ruim, guardar por 18 anos a culpa de algo que você não fez. - E passar por diversas psicólogas para ouvir: ''A culpa não é sua''.

E eu, não vou carregar essa culpa nem fodendo, de novo. - Porque eu, não estou interessado na teoria de vida da Stefanie e nem na ''superação'' fingida da Marília. - E desculpa, eu não posso cantar como convém, sem querer ferir ninguém!

Vocês são a mistura do repertório inteiro do Belchior com o Teste de Fidelidade!

Querem uma prova? - Terás!

''Quero a sessão de cinema das cinco pra beijar a menina e levar a saudade, na camisa... hehe... Toda suja de batom... Lá, lá, lá, lá, lá, yeah''...

-OLHA LÁ, ROBSON!

- POR QUÊ GRAVOU ISSO ENTÃO?

- FOI VOCÊ QUE MANDOU, PORRA! 

Eu entrei de gaiato nesse navio, nem sabia da história toda. - E me expus ao ridículo.

Uma história que ainda me dói porque eu perdi a oportunidade de ser pai, que é um sonho que eu me lembro todas às vezes, que eu tenho abstinência. - Principalmente, depois que eu falei com a filha dela no telefone:

- Oi, moço...

- Oi... Quem é?

- Isabelly Ferreira dos Santos Ribeiro.

- Quem?

- Isabelly Ferreira dos Santos Ribeiro...

- ??... Ah, sua mãe tá aí?

- Tá não, moço. Minha mãe foi trabalhar e minha vó saiu. Eu tô sozinha aqui.

- Ah, é? Tá bom então, tchau, Isa.

- Pera aí...

- Oi.

- Como é seu nome?

- Não posso falar.

- Como eu vou saber se você é amigo da mamãe se você não falou seu nome, moço?

- Não vou falar meu nome porque sua mãe vai ficar brava, Isa. E também, a gente se conheceu antes de você nascer, tá bom?

- Ah... Tá bom, então. Tchau, moço.

E ela ficou puta, sim. - Mas, dois anos depois disso. - Eu assumi que liguei pra casa dela, quando a Isa fez 6 anos e elogiei a Isabelly por ser uma menina tão bacana.

Ela, fumou aquelas maconhas de cocô de rato que ela fuma sempre e escreveu:

''Não gosta de mim? Beleza. Mas não se aproxime dos meus filhos''.

Mas ela, não sabe da história inteira. - Eu fui atrás dela, no dia que a Tati me xingou de atraso da existência. - Larguei a AACD naquele dia, e logo, liguei pra ela... Já estava tudo ensaiado:

Obs: Por favor, Stefanie Rizzi, leia esse parágrafo com atenção:

''Vou falar que eu a amo ainda. E que nada mudou entre eu e eu mesmo. Agora, que ela terminou com o Henrique mais uma vez, é o momento perfeito pra isso''. 

E então, a Isabelly atendeu por acaso. - Nem sabia que ela tinha ido pra Hot Spice naquele dia. - E desde então, nunca mais eu liguei. - Mesmo sabendo até hoje, o número dela de côr e salteado.

Eu aprendi muito com o que eu ouvi na rua:

''Talarico morre cedo'' e ''Não se cobiça a mulher dos outros''. - Isso é bíblico. 

Está em Salmo 33: A História de Dalila, Sansão e Davi.

Deus condenou Davi por ter cobiçado Dalila pelada observando.

Aí, você me pergunta Stefanie:

- Mas pecador é quem cobiça. E não quem trai, certo?!

Errado! - Ouve a música: Soul Parsifal do Legião Urbana, nela você irá encontrar:

''Pecado é provocar desejo e depois renunciar''.

E Deus condenou Davi justamente por isso. - Dalila provocou desejo nele por estar pelada tomando banho, ela renunciou porque estava com Sansão, mas Davi, continuou insistindo. O que Deus fez?

Não condenou Davi, pois ele, se arrependeu depois. - Eu sei que você acredita em Deus, Teka.

Já você, Marília, é uma menina mimada, insegura e cheia de não me toques. - Te conheço desde os 11 anos. - E agora, paga da Borderliner louca do Agreste.

 Sendo que, está com seu namorado e talvez, a Stefanie nem esteja mais enchendo o seu saco!

E ainda diz, que eu piorei o seu estado. - Sendo que, a Stefanie escreveu sobre o Felipe, eu entrei de gaiato e nem sabia que esse tal Felipe era seu namorado. - Aconteceu o mesmo que aconteceu na bíblia:

A Teka encontrou o Felipe no banheiro:

- Oi.

- Oi.

O Felipe, entrou no banheiro masculino pra mijar ou cagar, sei lá. - Mas a Teka, do jeito que é filha da puta, entrou no banheiro masculino e escreveu:

- Eu te amo. - Com a marca de batom vermelho.

O menino viu, ela estava atrás dele, ele renunciou! - Compreende?:

- Para, Stefanie!

- Eu te amo, meu amor! O meu corpo arde como fogo quando te vê, meu garoto!

- Eu tenho pena de você, Stefanie!

Ela ficou puta, cuspiu na cara dele e escreveu o texto. - Owned!

E você, Marília, com o seu ciúme doentio de quem não sabe amar, me colocou no meio desse fogo, brigou com o Felipe, voltou com o cara e eu, sou o culpado?!

Não... - Vocês são.

Eu fui culpado há muito tempo atrás, mas também, quando ela me deu ''não'', eu respeitei, quando eu a vi beijando seu ex-marido, que era namorado, na época, eu só disse:

- Oi...

- Oi, Vi! Você tá bem?

E fui embora.

A tia dela até falou pra mim:

- A Franciele pensou que você não ia falar com ela.

- Por quê?

- Ela percebeu que você tava olhando pra ela com uma cara triste.

- Não... Somos amigos. Apesar de tudo.

- De tudo o quê, Dida?

- Ele gostava dela.

- Pára, mãe!

E a Franciele foi sínica. - E até hoje, fala pra todo menino que ela dá fora que eu fiquei louco por causa dela, mas enfim, foda-se.

Não culpo ela por minha desgraça e nem ninguém.

 Cortei os pulsos quando a filha dela nasceu? - Sim!

Não era pra eu saber que a Franciele estava grávida, mas o Renan me contou? - Sim!

Mas eu pus MINHA VIDA em risco. - Ela não soube de nada! - Ela hoje sabe, pois eu contei.

Mas ela se casou, descasou, tem dois filhos hoje.... - Mas eu, deixei ela em paz!

Já você, Teka, acha que está fazendo algo revolucionário rebolando a bunda na pica de outro e prezando por amor livre. - Mas isso, é mais antigo que a minha mãe:

''Ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais\Você pode até dizer que eu tô por fora! Ou que eu estou enganando, mas é você, que ama o passado e que não vê que o novo sempre vem!''

''Stefanie, desse jeito, você não vai ser feliz direito! Porque o amor é uma coisa mais profunda que um encontro casual. Stefanie, você não vai viver satisfeita! Porque o amor é uma coisa mais profunda que uma transa sensual''!

E Marília, a culpa da sua insegurança não é minha. - Você é mais bonita que a Stefanie e fica aí, com a areia na vagina. - Para de me culpar pelos seus pseudos-fracassos!

E essa história de que o Pietro é falso, eu já sabia. - Aliás, aliás... - 1 semana antes de ele sofrer o acidente, sabe o quê, o Vini Lucas ouviu ele dizer:

- Eu tenho pena do Vitão...

E Marília, eu te contei que a Carol Moreno, já ficou com a Franciele, né? - E ela me olhava com cara feia.

Aliás, Franciele, eu achava que lésbica é a sua irmã. - Não sabia que você era bissexual. - Aliás, se você for ou, não... - Não é da minha conta, também.

A única coisa que eu sabia, é que a Carol Moreno, era lésbica por causa do undercut e que ela conhece a Laís, amiga da Franciele de anos... - Elas vieram até aqui em casa e ficaram naquela putaria de sentar uma no colo da outra.

Pois é, essa era a mulher que eu amava...

Então, por isso, não tenho culpa! - O que vocês vivem, eu já vivi há muito tempo atrás...

Mas o que vocês não aprenderam:

''Quem ama, deixa livre'';

''Piroca tem um monte'';

''Chave de buceta não segura macho'';

''Ciume doentio, acaba em morte'';

Mas Teka, você têm razão:

''A Propriedade Química que possui uma substância de Alcalina, não pode reagir em contato com a outra''. - Mas você, fez do teu corpo fogo... E agora, morre em chamas!


Sua propriedade química não reage em contato com a de quem você ama! - Até porque, teu coração, é leviano.

''Mas não se preocupe, minhas amigas, é por horrores que lhes digo, isso é somente um textão, a vida é exatamente desse jeito, quer dizer... Ao vivo, é muito pior!''

''Por favor, não saquem a arma no pátio do Tobias, eu sou apenas... Um escritor! Mas se depois de ler, vocês ainda quiserem atirar, mate-me logo, à tarde, às 16:00, porque daqui a pouco, eu tenho Prêmio Sesc e não posso faltar... - POR CAUSA DE VOCÊS''

''Eu sou apenas um rapaz, latino-americano sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo da Zona Leste de São Paulo. Mas trago de cabeça uma canção do rádio que um atual compositor cearense me dizia: ''No presente a mente e, o corpo é diferente. E o passado é uma roupa, que não nos serve mais!''






sábado, 30 de dezembro de 2017

Julie (Parte IV: Ser bom e não pegar ninguém ou, ser ruim e pegar todo mundo?!)






💔


Você me disse, que gosta de caras como eu e te dou uns 25 anos, no máximo. - E eu, sou o esteriótipo do homem dos anos 80. - Pois, aprendi com quem foi de duas gerações antes, meu tio Gilson.

Falar baixinho;

Elogiar;

Dar uma ideia impactante improvisada por você na hora;

Chegar devagar...

Sobre o olhar ser mais importante que o ''psiu'' eu aprendi com meu pai, mas só isso, aprendi de útil com ele, o resto foram coisas tão inúteis, que nem valem ser citadas aqui, mas o meu pai tinha uma boa lábia, antigamente. - Acho que ele modernizou e eu, fiquei velho.

Uma vez, eu saí pra fumar com um primo e um amigo nosso, uma mulher passou no parque e eles, começaram a fazer ''psiu'':

- Que mina gostosa, né?

- Não, não é assim que a mulher vai olhar, mano.

- Vitão, você?! Logo você, vai ensinar a pegar mulher? Essa eu duvido!

- Tá bom. Só olha...

Eu fui com olhar aos passos daquela moça e ela olhou pra mim, depois eu disfarcei e eles:

- CARALHO! O Vitão sabe mesmo! Ensina pra ''nóis''?!

- Pra mulher olhar pra você, Rasta, é só acompanhar os passos dela. Só olhar. Ela vai olhar pra você, por mais ou, menos, dois segundos. No 1,5 você disfarça o olhar e sai andando.

- Só olhando... Saquei.

- É. O Victor tá certo. Aprendi assim com meu pai também.

- É? O Gilson te ensinou assim, Cima?

- Ensinou... Só que às vezes, saio um pouco do ritmo.

Então, saímos cumprimentando uns aos outros. - Estávamos chapados, lógico. Mas eu, por incrível que pareça, sou mais sensível e mais tímido sob efeito de algo do quê sóbrio. - Às vezes, tenho medo de não ser chamado pros lugares, novamente. - Mas as pessoas gostam de sair comigo.

Mas sempre que eu vou dar ideia numa moça, a moça fica com cara de besta do tipo: ''Nunca ouvi isso antes'' e depois fala:

- Você é um menino bom. Mas eu não presto.

Ou, a moça não fala nada pra mim e depois que eu ligo chorando falando que amo, ela diz:

- Tá bom, Victor, não chora... Vi, Vi, Vi! Tá aí?

- Tô.

- Tá chorando?

- Tô chorando, não!

- Não tá mesmo?

- Não. Me passa os convênios que a Lilian atende, Lu. Por favor.

Ou:

A menina fica dois meses sem falar nada pra mim e depois, diz:

- Vitão, você foi o melhor homem da minha vida, mas eu tô namorando... E não ligo pros bostas! Eu só não fico com você porque, meu namorado é bem pior.

- Por quê?

- Porque ele só quer o meu corpo. Você, me quer por inteira. Você não quer só sexo. Quer meu carinho, minha atenção. Se você quiser, eu vou na sua casa, te deito no meu colo e canto pra você, caralho! Não me custaria nada.

É... E eu tô esperando... - E ela já terminou com o cara porque, ele seguia ela no baile funk.


Dessas, eu não acho ruim. - Pior, é a menina que gosta do meu papo, quase me beija, mas pensa: ''Ah, é o babaca do Victor. Então, é não'' - Mas fala do meu papo bom por 1 semana, perde a virgindade com um amigo e conta na minha frente.

Eu já escolhi esperar até ficar com uma menina confiável, mas eu fico confuso:

- Ser bom e pegar ninguém ou, ser ruim e pegar todo mundo?

Eu aprendi técnicas ASMR, também. - E Sabrina, assume logo que você faz isso pra nerd se masturbar e que, os caras do R&B sabem essas técnicas há muitos anos, beijos.

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Não me deixa Sozinho, Alerquina



Bebi ontem, para te lembrar e acabei chorando. - Fingi que eu não sabia o que a Emily tinha falado pra mim, pois eu, não estava afim de brigar e nem ouvir naquela noite.

Eu te amo muito, mas depois que eu lembrei de uma história aí, é melhor te deixar em paz e só chorar olhando tuas fotos. - Não quero seguir o teu baile, não quero ocupar o teu espaço com os velhotes. - Eu queria algo além do teu corpo. - Sua amorosidade!

Sua voz baixa dizendo que me ama, é melhor que teu corpo. - Por mais que seu corpo me chame a atenção, o valor da carne não faz falta aqui, pois eu posso machucá-la. - Como a minha carne foi machucada há 10 anos atrás.

E o que aconteceu há 10 anos atrás, a gente tem de deixar em paz. - Porque, o passado não nos serve mais, como um cearense amigo meu, disse uma vez.

Você disse pra eu não chorar, mas você faz falta aqui. - Não tem como!

Sua traição doeria menos. - Porque eu ia te mandar embora, bater meus pulsos no carro e escrever sobre nossos momentos felizes. - Mas você, preferiu ir embora e me deixar aqui. Isso piorou.

Hoje, não posso fazer nada. - Não posso te tocar, não posso chegar no teu espaço de novo e nem te sentir. - E isso, dói mais se você tivesse ficado e me traído nos bailes da vida! - Pois, se você tivesse ficado e me traído, teria coisas boas pra contar. - E não tenho!

Largaria as opiniões para ficar com você. - Como você largaria pra ficar comigo.

Somos compatíveis sexualmente, mas incompatíveis no estilo de vida. - E isso, não dói em mim. - Dói em você!

Não queria me casar com você. - Só queria teu colo, teu carinho, teu sexo? Também.

Porém, hoje, não posso mais ter nada disso. - Com medo de me machucar, você não quis ficar.

Mas você não sabe? - Sua ida sem teu beijo, me doeu mais do quê se sua ficada, virasse traição.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Como Eu Era Antes de Você (Pedido: Ana Landin)





Olha, a cabeça ainda dói depois da batida que misturei ontem porque queria trabalhar melhor, mas, na verdade eu queria era me matar, sabe?

Porque a cadeira de rodas ainda dói as minhas juntas e o preconceito ainda fere meus sentimentos, é muito fácil lutar por uma causa se ninguém luta pela sua. - Pois, quem se vê diferente, também julga quem é mais diferente ainda.

É óbvio, que eu sinto falta do teu sorriso, do teu sexo e da forma que tu me tratavas, com carinho de uma mulher experiente, com um toque sutil e delicado. - Sua voz baixa, já me fazia olhar como um garoto que é carente profissional, mas não é canalha.

Porém, preciso me superar a cada dia, pois, o meu trabalho me mantêm vivo. - Deixa passar o que me deixa realizado, pra depois virar estatística, pois como dizia Caio Fernando Abreu:

''O Brasil não precisa de escritores, precisa de arroz e feijão, de médico...''

Sexo é mentira! (Pedido: Fernanda Cipollini)



Eu não sei, se é mais digno se masturbar pra curar as dores escrotais ou, comer e dar pra todo mundo sem sentido, pois somos partes do mesmo anjo, que se chama Azayel! - Ele comanda nossos corpos, nossa libido mesmo sabendo que sexo não compra amor e amizade.

Você apareceu na minha porta com seus textos intensos, com sua cara de garota e fazendo oxigênia. - Eu gritava o nome de outra mulher, mas você mordia o meu pescoço e me fazia amar aquilo. - Seu jeito obsessivo confuso com amorosidade, me fazia bem! - Mas deixava a podridão da alma consumir. - Eu queria me guardar pra arlequina, mas meu pensamento sempre voltava pra você.

Sei que você faz isso com outros homens e não é legal, pois você tem um santo forte, quem tem o espírito fraco para o sexo sem vez, somos nós...

O futuro repetiu o passado. - Vejo você e a menina que eu amava quando era jovem, morrendo de Aids, e ambas me pedindo perdão no hospital à míngua, cegas e cadeirantes! - O Cazuza não estava errado. - Vocês são sub-produtos do Rock de Woodstock. - Mais antigas que teus pais!

A modernidade me assusta também, mas os meus valores, não deixo para trás.



Fui numa exposição da Cintya Verri, e só vi novidades em arte, mas não em nerdices. - Tudo voltou para as antiguidades e o sexo também. - E isso, está me assustando como o deslumbre e a idolatria me assustam desde antes de conhecer a Cultura Hebraica.

É preciso sempre cuidado com nossos passos. - O sexo ainda é o maior dos pecados e, o renunciamento do desejo, é mais pecado ainda. - As coisas para se cuidar vieram e já tinham, mas os anjos maus ainda fazem meus amigos caírem.

É fácil falar que eu renunciei Deus, mas meu caso, foi por revolta, mas a parábola do Filho Pródigo existe, porém, todo mundo está aprisionado no perdão pensando que Deus é misericordioso. - É, ele é misericordioso, mas também, não é otário. - Sem ele, os demônios que existem em nós, entram fácil.

Estava livre e não iria te trair, mas me senti sujo depois que aquela menina apareceu em minha janela, pois, arlequina tudo estava guardado para você. - O teu carinho é raro... - A indiferença dela, me machuca. - Você não me tratou como um vento que passou...

Já ela, me acha BOM. - Mas não age como tal. Nunca agiu.

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Julie (Parte III): Consulta Psicológica




Perdão, doutora, por chegar ébrio no teu consultório. - É que eu a vi de novo, aquela mulher que eu amava, de batom vermelho, a filha no colo e seu olhar diabólico pra cima de mim.

 Ela me faz tirar a roupa sem pensar, ela grita em meus ouvidos como Lilith. - O grito é ensurdecedor, mas a carne é fraca, ás vezes. - Quando o homem vê a beleza misturada com seios grandes e bunda grande, é difícil ir contra o corpo para seguir o que Deus desejou.

O ''não confio em você'' vira ''que se lasque!''. - E depois, tudo vira vazio e solitário por dentro..

Tenho vontade de chorar, minha cabeça dói de tantas lágrimas carregadas aqui em minh'alma, porém, são quatro e tal e toda São Paulo está dormindo essa hora e minha professora de português acaba de fazer uma besteira que não se conta nas TV's nem nos jornais...

De madrugada, eu converso com você, mas eu olho, e você não está aqui.

De madrugada, eu digo que amo minhas amigas, mas eu olho, e elas não estão aqui.

Quando eu era jovem, eu podia me revoltar com essas coisas, bater na parede, falar palavrões e fazer o quê quiser, mas quando você sente vontade de trabalhar e vê, que todo mundo foi embora porque não viram o que eu sou, pois, como dizia a Andy, eu sou o que ninguém vê...

Sinto falta de você, sinto falta da Emily, sinto falta dos meus verdadeiros amigos que esperam por mim. - Mas vocês estão dormindo, e você no Rio de Janeiro, que é pior. - Mas Emily, não está acordada, e só acorda daqui há uma hora... - E preciso falar que amo a arlequina pra ela!

Mas eu sou tão diferente, tão deficiente que, não dá pra correr atrás.

Sinto falta do colo e do abraço de alguém. - Mas finjo que não preciso pra não me machucar! - E isso dói!

Desculpa por ter vindo bêbado ao seu consultório... - Mas não preciso da Stefanie.

Preciso de você... - Que sempre esperou por mim.

Não me faço de Coitado!




Acho que aqui é o único lugar que posso falar o quê eu quiser sem censura de meninas que falam para eu superar o que é insuperável.

Minha mãe ficou triste, pois, me viu mal por assinar a isenção do IPVA. - Eu sei, que ser especial, tem seus direitos e seus bônus. - Por causa da minha deficiência, posso me manter financeiramente, tenho onde morar e tenho direito de isentar tudo que aperta minhas contas. - E isso é bom!

É mais dinheiro pra eu curar a depressão, pagar minha internet para poder escrever minhas dores e assistir a Marcela Rafael, sem um custo alto à pagar. - Posso me casar, separar que sempre vou ter a casa da minha mãe.

 Mas eu me sinto um desonesto, um cara que fala que é especial não sendo só pra tirar o lugar de quem realmente é, e tacar pipocas no caminhão da Mancha Verde. - Aliás, ainda bem, que a Marcela Rafael, não passou isso. - Se a mídia descola que aquele cara eu meu primo, eu não ganho meu livro físico... - E nem viajo para Itália com o dinheiro das vendas.

Eu me importo com o que o povo da favela irá pensar, me preocupo com que Stefanie irá pensar e principalmente, com o que você irá pensar, minha arlequina, meu amor...

Eu não quero voltar pra AACD, quero continuar confiando piamente em Deus e não quero virar nazista e nem ser aquele preconceituoso que fui num passado de seis anos atrás, pois, o preconceito comigo, só mata eu. - Não mata os outros deficientes que estão ali, achando que irão ser felizes.

Me afogo na dor; e essa dor, têm cheio de flores de cemitério, mas flores são tão belas, como o teu cabelo loiro, teu sorriso que me faz sorrir também, teu carinho, tuas cantigas, teu ''eu te amo''.

Você não me disse ''Sim ou, não'', mas não posso correr atrás de você novamente. - Me importo com os teus amigos vão pensar de mim, pois eles, não gostam de mim. - Mas tudo o que eu queria, era te tirar dos velhos que querem apenas teu corpo e te ter como um troféu.

Eu até pensei em não me importar com as pessoas que me julgam e lutar pelos meus direitos pra não foder com a saúde psíquica da minha mãe. - Mas ela, se você só deixar ela falar, ela para e passa a dor dela. - Pior sou eu, que tenho de carregar este estigma pro resto da vida e ainda, ser forte pra aguentar a Stefanie na minha cabeça. - Pois ela, é minha filha.

Quer dizer, não é nada. - Mas pra não perder a vontade de colocar o nome ''Stefanie'' na minha futura filha, acabo limpando e ouvindo as merdas de outra Stefanie, porque eu amo esse nome.

Ela teve uma menina, mas ela, é como um texto do Caio Fernando Abreu, que eu ouvi a Mariana Ximenes recitar hoje na TV, mas estou tão bêbado, que nem consigo lembrar. - Aliás, só de uma parte: ''Sexo é mentira!'' 

Aliás: ''Sexo compra dinheiro e companhia, mas nunca amor e amizade, eu acho'' e ''Sexo é mentira''...

São frases ditas por quem morreu por causa do sexo. - Então, posso deduzir que é verdade essas coisas. - Mas nem ela, nem Stefanie sabem disso ainda...

Eu sei, pois, por causa de sexo e companhia... - Ou pelo menos, pela falta de ambos os dois, sinto-me morrendo a cada dia.... - Ser especial, não significa ser especial para outrem.

Ser especial, pode até ter o seu bônus. - Mas o ônus vêm dobrado!

Mas confio piamente em Deus, não vou deixar o deslumbre me tomar novamente. - É melhor se importar do que agir como egoísta achando que sexo, supre todas as necessidades.

Como ela acha... - E Stefanie, também.

Pois, bruma é o Diabo. - E sexo, também.